Espetáculos Adultos - Quarta, 17 Março 2021 11:11

Póstuma e Vingativa

Uma suburbana carioca viveu uma vida triste e sem esperança. Mesmo antes de ter motivos para acreditar que iria morrer, já preparava para si um fabuloso enterro. Agora, depois de morta, conta sobre sua deprimida vida desde que recebeu uma notícia inquietante da cartomante até o momento de sua morte. O espetáculo é inspirado no texto A Falecida de Nelson Rodrigues.

Espetáculos Adultos - Quarta, 17 Março 2021 11:09

Porco Cane: Uma Visita

Mãe e filha se preparam para receber a visita de um primo italiano, como uma esperança de casamento para a filha e para salvar as finanças da família. O Palhaço Mequetrefe, mordomo da casa, é enganado por um ladrão que finge ser o primo rico da Itália e dá início às inevitáveis confusões. Quando o ladrão e o primo se encontram, a grande questão é: quem será o impostor?

Espetáculos Adultos - Quarta, 17 Março 2021 11:06

Palhaça Sola

Uma palhaça despejada que não sabe onde ou tampouco como recomeçar. Tendo a solidão como cúmplice, inicia a construção da sua nova casa e durante essa tentativa encontra uma revista com preciosa chamada: “Como arranjar um companheiro em três passos”. Atraída pela possibilidade rápida e prática de encontrar alguém, se lança com afinco na orientação da revista, mas talvez a praticidade oferecida pode não ser tão certeira.

PALHAÇA SOLA é uma montagem que utiliza a linguagem do palhaç@ de modo a envolvê-la numa dramaturgia em que o circo e o teatro se complementam. Um monólogo imbuído de recursos clássicos da palhaçaria que tem como pano de fundo reflexões contemporâneas sobre o universo feminino. Com duração de 50 minutos, o espetáculo oferece singela comunhão com o público juvenil e adulto, um trabalho que visa difundir a excêntrica figura do palhaç@ e contribuir com a formação de público nas artes cênicas/circenses.

A morte do diretor artístico do Grupo Arte & Vida, que por trinta anos promoveu saraus, peças e eventos culturais em uma pequena cidade, é ocasião para um último sarau com a sua presença. Poemas, canções e cenas que fizeram parte da história do grupo são apresentados em uma despedida alegre que, ao evocar memórias e afetos, conduz a uma reflexão sobre a vida, o amor e a arte.

“O Último Sarau – uma peça de corpo presente” (2014), é um espetáculo do Grupo Os Geraldos, com direção de Roberto Mallet. Fruto de um processo de criação coletiva, o espetáculo é uma comédia dramática que busca evocar a memória de um tempo em que a tradição cultural permeava o cotidiano das pessoas. O espetáculo já foi premiado, a exemplo, no FESTE de Pindamonhangaba, no qual recebeu os prêmios de Melhor Atriz (para o conjunto de atrizes) e Prêmio pela Pesquisa (especial do Júri).

Espetáculos Adultos - Quarta, 17 Março 2021 11:00

O Pretendente

Meados da década de 40. Eis que um novo dia se anuncia na casa escura e silenciosa de Iracema. Logo cedo Caetana, sua fiel escudeira, é informada de que deve acordar as jovens sobrinhas, para que recebam uma importantíssima notícia. A notícia? Vão receber uma visita para o jantar! Um pretendente! Iracema quer casar uma das meninas a qualquer custo. Venha descobrir quem será a escolhida nessa comédia ácida e cheia de reviravoltas sobre mulheres fortes à frente do seu tempo.

A proposta de montagem do espetáculo “O Pretendente” da Cia. Bambolina partiu da ideia de montar um texto onde todas as personagens femininas da história fossem interpretadas por atores homens. A história se passa na década de 40 então foi necessário iniciar uma pesquisa não somente acerca das mulheres daquela época, mas também do cenário, figurino, maquiagem e trilha sonora que ajudam a desenhar a encenação do espetáculo. Por se tratar de uma comédia a direção decidiu conduzir a comicidade focada no texto e nas interpretações, exigindo do elenco um trabalho refinado de criação que não fosse caricato, mas que valorizasse a figura da mulher como protagonista. Durante todo o processo o grupo discutiu e debateu cena a cena na intenção de encontrar as potencialidades de cada personagem dentro da linha dramatúrgica estabelecida. O resultado que se buscou alcançar foi o de um trabalho de comédia sem exageros e com qualidade artística capaz de inserir o espectador numa outra época adentrando a casa dessa família formada por mulheres de personalidades tão fortes. O cenário, utilizando de elementos cênicos simples como cadeiras de madeira e tecidos, somado ao desenho de iluminação, tenta criar o ambiente da casa que hora se divide em quartos e hora passa a ser a sala. Os figurinos foram todos adquiridos em brechós, pensando em cores e tecidos que remetessem à época da história. As peças foram customizadas de acordo com a necessidade dos corpos dos atores. A trilha sonora é executada toda de uma vitrola com disco de vinil que contém músicas de domínio público. A música entra sempre em momentos de mudanças cênicas como pano de fundo das ações e são conduzidas pelos próprios personagens.

O Melhor Espetáculo de Hoje, traz vivo em seu enredo os números clássicos do circo entre palhaços. Em busca de resgatar a magia, o encanto e a ludicidade do circo, atualmente quase caindo ao esquecimento devido ao advento das tecnologias da informação, o espetáculo conta com música ao vivo, malabares, monociclo, equilíbrios, "animais" adestrados e muita comicidade, prometendo provocar e arrancar risos da plateia.

Espetáculos Adultos - Quarta, 17 Março 2021 10:55

O Coração nas Sombras

O espetáculo apresenta a história de Letícia Poletti, as desventuras e o acarretamento de sua confiança nos homens que amou durante os seus 28 anos, de Paraíso a Barbacena. Outras histórias que povoam nosso imaginário se farão presentes e colocarão em pauta as indelicadezas que cercam o amor e a morte, temas universais para todas as sociedades do mundo.

Em poucos instantes vai começar a programação da TV Anhanguá, o primeiro canal de televisão do Brasil. Depois de meses de ensaio os atores, músicos e técnicos estão preparados para tudo.... Ou quase tudo. O espetáculo aborda com muito humor, informações e lendas do dia da estreia da televisão brasileira com referências a programas e personalidades da tevê do Brasil na atualidade. Tendo como pano de fundo os aspectos históricos do surgimento da televisão no país e como o improviso supria, muitas vezes, a falta de tecnologia, o espetáculo aborda questões relevantes da atualidade, e propõe uma reflexão sobre a manipulação dos veículos de comunicação.

O Antropofocus é um grupo de teatro que pesquisa a comédia e suas múltiplas linguagens de encenação há 20 anos, e tem sua sede localizada em Curitiba / PR. Em sua trajetória, o grupo registra a criação de 14 espetáculos teatrais, e 04 deles se mantém em repertório, além de participações em importantes festivais de teatro do Brasil e também fora dele. O espetáculo NO DIA SEGUINTE estreou em comemoração aos 15 anos de existência. O grupo havia desenvolvido espetáculos com dramaturgia cômica e outros de improvisação. Entretanto, faltava criar um projeto que unisse, de maneira mais homogênea, as duas linguagens. No Dia Seguinte: A Quase História da tevê Brasileira narra a fictícia estreia da tevê brasileira, onde a plateia torna-se o auditório de uma programação ao vivo, de 1950. Ao longo do ato inicial, todos acompanham os bastidores da tevê e a sua programação variada: seriado enlatado americano, propagandas, telejornal e telenovela. O público acompanha tudo no palco e nos aparelhos de tevê que compõe o cenário, que recebem transmissão ao vivo - assim, podem distinguir o que é transmitido e acompanhar o processo do que realmente acontece no estúdio, propiciando uma sátira aos bastidores da TV. Ao final do dia de estreia, toda a equipe é surpreendida pelo fato de que será necessário fazer tudo outra vez NO DIA SEGUINTE, pois os programas não poderão ser reprisados e a equipe não programou essa continuidade. A partir deste ponto, a equipe do estúdio repetirá os programas do dia anterior só que desta vez serão improvisados, tomando como base uma entrevista realizada com uma pessoa do público. Essa entrevista fará parte de um talk show, que marcará o início do Dia Seguinte da TV Anhanguá (Emissora fictícia).

Espetáculos Adultos - Quarta, 17 Março 2021 10:43

Mulher Peixe

"Mulher peixe" e uma performance a partir da pesquisa sobre o reflexo físico no corpo oprimido, esse corpo se trata do corpo fora do padrão na dança, ou seja, conscientização do público que não há uma supremacia do ser humano sobre o outro em função do seu próprio corpo. Somado a isso, procura enfatizar o empoderamento deste corpo que dança em seu espaço cênico e despertar o público para a igualdade e convivência de respeito e tolerância, e não um egocentrismo humano.

Uma doença percorre as mulheres de uma família: avó, mãe e filha. Enquanto a filha discorre sobre a doença, ela percorre suas memórias. Estas memórias vão sendo perdidas, deixadas pelo caminho. Durante o percurso, dúvidas, incertezas, as relações familiares e questionamentos sobre a vida e os cuidados com a doença são trazidos à tona.

Memórias Perdidas – A noite que se Aproxima: um espetáculo sobre questionamentos da vida de quem convive com a doença de Alzheimer. Um espetáculo sobre memórias reais ou ficcionais e a perda dessas lembranças em decorrência do Alzheimer que tem o propósito de tocar as pessoas por meio da arte e trazer a reflexão dos sintomas desse tipo de doença e, também chamar a atenção para a invisibilidade dos idosos na sociedade. O projeto proposto pela atriz Simone Sobreda conta com a direção de Caren Ruaro e dramaturgia de Rogério Guarapiran No espetáculo solo, conforme a atriz manipula alguns objetos, algumas memórias vêm à tona trazendo questões sobre as mulheres que são ensinadas a cuidar de tudo e de todos desde a infância, como avós, mães, filhas e noras. A peça trata também da síndrome do ninho vazio, da perda de um filho e o quanto isto pode acarretar para a saúde de uma mãe. Além disso, a peça fala também de sintomas, de cuidados e de políticas públicas relacionadas aos pacientes e aos familiares cuidadores desses pacientes com Alzheimer. Por meio da narrativa, do teatro documentário e utilizando de elementos da performatividade - linguagens que fazem parte da pesquisa de grupo da diretora, Caren Ruaro (Cia do Trailler – Teatro em Movimento), a atriz Simone Sobreda (Cia da Entropia) traz para o palco a recriação de fragmentos de sua biografia, desencadeados pela descoberta do Alzheimer em sua mãe. A dramaturgia é composta de uma imensa pesquisa em processo colaborativo entre direção, dramaturgia e a atriz. Fez parte da dramaturgia também entrevistas com filhas cuidadoras de pacientes com doença de Alzheimer. De acordo com a atriz outra missão muito importante da ‘Memórias Perdidas – A Noite que se Aproxima’ é que os homens e as mulheres se questionassem sobre a carga de trabalho e de cuidados que sobrecarregam as mulheres. “Olhe para o lado: quantos homens você conhece que cuidam de suas mães idosas? Por que os cuidados da casa, da família, dos bebês são responsabilidade primária das mulheres? O quanto as mulheres permanecem em casa para que os homens conquistem seus espaços na sociedade?”, compartilha a criadora do projeto. Simone ainda acrescenta que, durante o percurso, “dúvidas, incertezas, as relações familiares e questionamentos sobre a vida e os cuidados com a doença são trazidos à tona”.

Please publish modules in offcanvas position.