Oficinas e Workshops - Terça, 16 Março 2021 17:18

Iluminação Cênica

Oficina de iluminação cênica abordando os aspectos gerais da iluminação para as artes, como teatro e dança. Direcionado ao publico maior de 16 anos, em especial, mas não exclusivos para atores e técnicos de artes.

A oficina tem objetivo de qualificar o aluno a montar configurar e operar e um set de luz com qualidade.

Oficinas e Workshops - Terça, 16 Março 2021 17:14

Dança Criativa

Desenvolver um começo de consciência corporal e exercer sua criatividade com o corpo através de exercícios lúdicos, promovendo o conhecimento corporal e uma inicialização na prática da dança, trazendo benefícios, para a saúde física e mental. 

Ao fim desta oficina teremos construído uma pequena coreografia composta pelos participantes atraves das provocações dadas na oficina, assim a criança sairá interessado em uma prática corporal que ajude em seu desenvolvimento, podendo utilizar as práticas no seu dia a dia.

Oficinas e Workshops - Terça, 16 Março 2021 17:10

Arte Colorida em vidros

Instruir os participantes do curso a execução de todas as etapas de confecção do vitral artesanal com produtos de decoração como colas, tintas, resinas, entre outros. 

Espetáculos de Rua - Terça, 16 Março 2021 17:04

MalabaRindo

Tico e Polenta formam a dupla de palhaços que conduzem o espetáculo do começo ao fim. Além de muita piada, o espetáculo traz acrobacias, mágicas e malabarismos perigosíssimos, igual tomar leite com manga! Esta dupla supimpa promete te fazer rir do começo ao fim! Utiliza de linguagem popular, músicas mecânicas e somente uma música ao vivo, tocada em um grande piano de cauda em miniatura. O Espetáculo MalabaRindo é totalmente interativo e é indicado para pessoas de zero a noventa e nove anos, ou mais!

O espetáculo MalabaRindo é o primeiro e o mais apresentado espetáculo da companhia. Concebido no ano de 2015, foi uma forma de juntar os conhecimentos adquiridos na época no formato de espetáculo. Conectamos a palhaçaria com esquetes clássicas e piadas originais, o malabarismo com bolas, claves, malabarismo de contato e facões, as acrobacias em dupla, a música tocada ao vivo e nossa cara de pau! Dani Maimoni e Bruno Peruzzi são os principais responsáveis por esta bagunça, mas também contou com o auxílio de grandes amigos para chegar ao atual aspecto e formato. Foi contemplado pelo PROAC em 2017, e neste mesmo ano apresentado em uma turnê internacional em teatros, feiras e espaços culturais na Argentina.

Espetáculos de Rua - Terça, 16 Março 2021 17:02

Como a Gente Gosta

Exilados pelo novo duque, Rosalinda e Orlando são obrigados a deixar a corte. Ela foge acompanhada por sua prima Célia e, para se protegerem dos perigos da floresta, Célia se disfarça da camponesa Aliena e Rosalinda do jovem Ganimedes. Na floresta, Ganimedes brinca com seu enamorado Orlando, fazendo-o imaginar que ela (travestida de homem!) fosse de verdade sua amada e lhe dá lições de como se curar da febre do amor. Rosalinda, no meio deste quiproquó de amores, tece sua trama para resolver toda a confusão desta ciranda de paixões criada pela flecha de cupido, numa peça como a gente gosta.

GRUPO MARIA CUTIA APRESENTA “COMO A GENTE GOSTA”

Espetáculo de rua baseado na obra “As you like it”, de William Shakespeare, tem direção de Eduardo Moreira O Grupo Maria Cutia leva para as ruas o espetáculo “Como a Gente Gosta”, uma comédia musical sobre o amor livremente inspirada em William Shakespeare. Com estreia em dezembro de 2012, o grupo encena uma obra do clássico autor inglês poucas vezes montada e pouco conhecida no Brasil (“As You Like It” - algumas vezes traduzida como “Como Gostais” ou “Como Quiserem”). A produção, dirigida por Eduardo Moreira, do Grupo Galpão, é uma comédia-musical em que o amor e suas infinitas facetas promovem encontros e joguetes filosóficos sobre o universo humano. A montagem foi pensada para a rua, como é costume do grupo, reafirmando uma característica de encenar espetáculos nesse espaço. “Nossa intenção sempre foi o encontro com o público. Pela temática universal e por seu princípio de ser feito na rua, o espetáculo já nos levou a mais de 60 cidades do país. Estivemos tanto nas capitais no norte do país e também em distritos rurais do estado de Minas Gerais. Fazemos teatro de rua, lugar em que todos os públicos se encontram”, afirma o ator Leonardo Rocha. Como a música é elemento recorrente nos espetáculos do Maria Cutia (inclusive um deles, “Concerto em Ré”, é uma banda de palhaços em que todas as canções são autorais), sua utilização tem papel importantíssimo na trama, posto que, mais que sonoplastia e entreatos, ela é elemento dramatúrgico, um dos alicerces da encenação. “A música nesse trabalho foi fundamental para que encontrássemos os climas de cada cena. Ela tem uma função dramatúrgica bem clara e definida”, salienta o diretor Eduardo Moreira. Para o espetáculo, os atores criaram trilha original que é executada ao vivo e teve a direção musical do ator Hugo da Silva, do Maria Cutia, e de Marco França, ator e músico do grupo Clowns de Shakespeare (Natal/RN). Essa montagem contou com a participação de Inês Peixoto, responsável pelo desenho de cenas; Babaya, na preparação vocal; Joaquim Elias, na preparação corporal; e Wanda Sgarbi, que assina os figurinos e cenários.

Espetáculos de Rua - Terça, 16 Março 2021 16:59

Circo de Doisdo

Capivara e Fiofó são dois palhaços nada convencionais, que tocam seu pequenino circo a bordo de uma Kombi. No comando de um picadeiro improvisado revelam acrobatas internacionais, malabaristas dançantes e uma besta fera selvagem!

Espetáculos de Rua - Terça, 16 Março 2021 16:56

A Ilha Desconhecida

O espetáculo de rua “A Ilha Desconhecida” da Cia dos Náufragos reconta através de uma trupe de atores/marinheiros a jornada de um homem em busca da misteriosa ilha desconhecida. Em sua trajetória nosso herói irá enfrentar diversos obstáculos: um rei despótico e sua política de favores, ferozes burocratas, marinheiros incrédulos e uma inesperada companheira de viagem. Uma alegoria da nossa busca pelo sentido do mundo e uma sátira da situação do mesmo. Livremente inspirada na obra de José Saramago.

“Caminhante: não há caminho. O caminho se faz ao caminhar.” Antonio Machado Viajar, pôr-se em viagem, partir em busca do desconhecido e descobrir-se a si mesmo. Um dos temas fundamentais da experiência humana, quiçá o tema essencial, é o cerne do conto de Saramago que serve de base à montagem concebida pela Cia. Dos Náufragos: “A Ilha Desconhecida”. A proposta de encenação foi construída a partir do trabalho do elenco com a palavra falada e cantada. A fábula é narrada, ora diretamente ao público, ora por meio de diálogos entre os diversos personagens representados pelos atores. Transitando entre a contação de história e a performance teatral, o elenco também executa, ao vivo, toda a trilha sonora da peça, criada a partir de composições da própria companhia, além de obras do folclore e do cancioneiro popular brasileiro. A dramaturgia, concebida a partir do “Conto da Ilha Desconhecida”, foi acrescida de versos dos poetas Jorge de Lima e Fernando Pessoa, mais os textos das canções Fiel à tradição mambembe.

Espetáculos de Rua - Terça, 16 Março 2021 16:53

A Farra do Boi Bumbá

Com autoria e direção de Ribamar Ribeiro, A história se desenvolve em torno de um rico fazendeiro que tem um boi muito bonito. Pai Chico, trabalhador da fazenda, para satisfazer a sua mulher Catirina, que está grávida e sente desejo de comer a língua do boi. O Pai Chico traz a língua do boi e a confusão está formada. E além da história do boi, a trama também traz pequenos contos do folclorista Câmara Cascudo.

O novo espetáculo de Os Ciclomáticos Companhia de Teatro escrito e dirigido por Ribamar Ribeiro traz a cultura popular brasileira como tônica nesta montagem. O diretor mergulhou no universo do teatro popular, das farsas medievais e das festas brasileiras pra contar a tradicional história de Catirina e a língua do boi. Neste universo, Ribamar Ribeiro pesquisou também os contos populares de Câmara Cascudo criando um universo próprio e contemporâneo na encenação. O objetivo deste novo espetáculo que é o décimo do repertório da Companhia Os Ciclomáticos, é encantar crianças e adultos através das histórias populares e assim redimensionando este contexto popular de forma universal.

Espetáculos de Rua - Terça, 16 Março 2021 16:49

A Casatória c'a Defunta

A Casatória C'a Defunta, conta de modo lúdico e divertido as peripécias de quem já partiu desta vida para uma melhor e dos que ainda respiram por esses ares. Cinco atores contam a história do medroso Afrânio, que está prestes a casar-se com a romântica Maria Flor, mas acidentalmente casa-se com a fantasmagórica Moça de Branco, que o conduz para o submundo. Lá, o jovem fará valorosos amigos e aprenderá uma grande lição, porém está disposto a não desistir do seu amor verdadeiro, mesmo que isto lhe custe a própria vida.

“eu não sei bem qual a grandeza do

universo, mas não há palavra no universo que seja maior que o verbo amar”

(A Casatória c’a Defunta)

Diante do atual contexto de isolamento social em decorrência da Covid-19, a Cia. Pão Doce (RN) reconheceu a necessidade de repensar e reinventar o fazer teatral para tempos isolados. Desta maneira, apostamos na adaptação audiovisual do espetáculo “A Casatória c’a Defunta”, com cinco atores gravados em self tape, representando de suas casas, um trabalho que outrora foi apresentado na rua e já passou por mais de 115 cidades brasileiras.

“A Casatória c’a Defunta” surgiu a partir de uma pesquisa desenvolvida pela Cia. Pão Doce nas zonas rurais do Rio Grande do Norte, com o objetivo de descobrir a partir da arte, formas de debater sobre a vida e a morte segundo o imaginário popular. Com uma linguagem popular que assimila costumes, crenças e sonoridades dos rincões brasileiros, o trabalho situa seu encantamento em uma revalorização do amor, animado por gracejos e humor físico, como a voz esganiçada de Maria Flor, a noiva viva prometida a Afrânio antes de seu casamento equivocado com uma morta. Esse tratamento lúdico se dispõe a celebrar o amor e a revelar a beleza do singelo, proporcionando aos espectadores novas sensações e boas reflexões sobre a pós-vida, e sobre a cultura popular e sua preservação.

O jogo dinâmico dos atores, dentro de um formato que é novo para o elenco disposto em cinco molduras distribuídas em uma tela, é representado por partituras que transitam entre o coletivo e o indivíduo, assim como a artesania para armar-se as cenas que sobrepõem texturas às peripécias de Afrânio. A história serpenteia entre as diversas vozes presentes: ora faz-se música, ora diálogo, ora narração de um coro que também maneja os elementos cênicos, transformando os cenários criando uma teatralidade acentuada, com momentos de poesia sonora e visual.

Com um texto delicado e metafórico, o grupo retrata uma história de amor, amizade, respeito e equilíbrio entre os mundos real e espiritual, mostrando através da cena e da música, vida e morte como distintas e ao mesmo tempo equivalentes, navegando entre os ritmos populares do Nordeste e canções autorais.

 

CIA PÃO DOCE DE TEATRO

A Cia. Pão Doce de Teatro desenvolve desde 2002 projetos na área de artes cênicas, música, audiovisual e dramaturgia, em Mossoró/RN. A partir de 2012, com a primeira edição do projeto Pão Doce da Rural, o grupo passou a dedicar a sua pesquisa e produções no âmbito da cultura popular nordestina, visando preservar e difundir, a partir do teatro, manifestações populares como o cordel, o repente, o coco, a ciranda, o maracatu, o pastoril, caboclinhos, entre outras expressões. O Grupo já contemplou mais de 20 zonas rurais com seus projetos. Desde então, a companhia realizou a montagem de 11 (onze) espetáculos, circulou por 19 (dezenove) estados, entre mais de 120 (cento e vinte) cidades do País. Foi através do espetáculo “A Casatória c'a Defunta”, que a Cia. Pão Doce ganhou visibilidade e reconhecimento nacional, quando participou do maior projeto de circulação artística do País, o Palco Giratório 2016, patrocinado pelo Sesc e Sistema Fecomércio. O grupo, também circulou pelos principais Festivais de Teatro do país

Espetáculos Infantis - Terça, 16 Março 2021 16:09

Zapato busca sapato

Nossa história começa com o despertar de um pequeno sapato e o reconhecimento de ser diferente já que nasceu sozinho em sua caixa. Zapato busca Sapato narra as aventuras deste sapatinho a procura de seu par e os inesperados encontros no seu caminho que começa no México, passa pelo Brasil, até chegar em Moçambique. É uma viagem entre continentes e culturas, uma travessia que o faz conhecer-se a si mesmo.

Zapato Busca Sapato é o encontro de dois grupos dedicados ao teatro para crianças e jovens nas Américas: La Máquina Teatro no México e Trupe de Truões no Brasil, adicionado a colaboração dramatúrgica de Rogério Manjate, poeta, escritor e ator de Moçambique, e direção de Clarissa Malheiros (La Máquina Teatro – México). Juntos os dois grupos fizeram temporadas no Brasil e no México, e participaram do 19º Congresso Mundial da ASSITEJ (Associação Internacional de Teatro para Infância e Juventude), realizando 4 sessões do espetáculo em maio de 2017, em Cape Town, na África do Sul. Os dois grupos seguem com suas montagens, uma brasileira e outra mexicana.

Please publish modules in offcanvas position.